Publicado em: 13 de dezembro de 2013

Estrada de Ferro entrega primeira fase da iluminação do Teleférico em Campos do Jordão.

tel.

Hoje, a partir das 20 horas, a Estrada de Ferro Campos do Jordão entrega a primeira fase do novo sistema de iluminação. Nesta etapa, ornamental, o serviço será executado nas bases operacionais de embarque e desembarque e nas sete torres metálicas.

A tecnologia empregada é de LED com alto padrão de desempenho e eficiência permitindo uma diminuição de consumo de energia em aproximadamente 70% comparada com tecnologia convencional.

Na segunda etapa, operacional, – com previsão de entrega para o primeiro semestre de 2014 – as lâmpadas serão instaladas nas cadeiras e nos 560 metros de cabo permitindo assim o funcionamento do teleférico durante à noite.  O valor do investimento é de R$ 746.000,00 e faz parte da modernização de toda a malha da EFCJ.

Inaugurado em 1970, o Teleférico, localizado no Morro do Elefante, oferece aos turistas vista panorâmica de Campos do Jordão. No mês de julho, a EFCJ obteve a melhor marca mensal de passageiros transportados em seus sistemas de Teleférico e Bondes Urbanos desde 2004. No Teleférico foram atendidos 42.410 usuários ante 24.336, ou seja, 74% a mais que a marca registrada em 2004.

No passeio turístico de bonde entre Emílio Ribas e Portal também houve um aumento de mais de três vezes, ou seja, foram transportados 9.272 usuários contra 2.786 passageiros em 2004. Se levarmos em consideração os 4.226 passageiros transportados no Bonde Turístico, que opera no trecho entre Emílio Ribas e Abernéssia, o total sobe para 13.498 passageiros. 

Estrada de Ferro Campos do Jordão
A EFCJ opera e mantém um dos principais atrativos do chamado Circuito da Mantiqueira, a quase centenária Estrada de Ferro Campos do Jordão, cuja operação iniciou-se em 1914. Desde 1916 ela é de propriedade do Governo do Estado de São Paulo, sendo atualmente administrada pela Secretaria dos Transportes Metropolitanos.

Concebida pelos médicos sanitaristas Emílio Ribas e Victor Godinho, seu objetivo inicial era o transporte de doentes tísicos para os sanatórios de tratamento, então localizados em Campos do Jordão. Com o desenvolvimento dessa cidade, a EFCJ consolidou-se como o principal meio de acesso à região, tornando possível o transporte não só de doentes e de seus familiares, mas de todos que residiam e precisavam chegar às localidades situadas na área de influência da ferrovia.

Com 47 km de extensão, a Estrada de ferro Campos do Jordão opera entre as cidades de Pindamonhangaba e Campos do Jordão prestando serviço em seis estações: Pindamonhangaba, Expedicionária, Piracuama, Eugênio Lefévre, Abernéssia e Emílio Ribas e obedecendo a 22 paradas.